Baralho Cigano

Em meados do século XV os ciganos começaram a instalar seus acampamentos pelo centro-oeste da Europa, até então eram nômades e tinham a habilidade de ler a sorte nas mãos dos consulentes, por não necessitar de instrumentos especiais e nem providências complicadas, já que tinham que carregar poucos pertences nas mudanças constantes. Mas a partir do contato com os nobres e ricos, franceses e italianos, associaram seu nome às cartas de jogar. À medida que se desenvolveram técnicas de impressão dos baralhos, os jogos de cartas se tornaram mais acessíveis para ler a sorte, por serem pequenas e de simples manuseio.
Antes dessa época não foram encontrados baralhos ciganos antigos ou exemplares históricos. As tiragens feitas atualmente utilizam as 36 cartas do baralho Petit Lenormand, que a cartomante francesa Madame Lenormand mandou copiar de um jogo de lazer alemão (J.K.Hetchel, 1771/99).
Nas últimas décadas do século XX foram criados baralhos intitulados ciganos, diferentes entre si, na Rússia, nos Estados Unidos e no Brasil, que são adaptações do Lenormand inicial, mas como qualquer outra coisa material, podem ser utilizados para as associações e sincronicidades das leituras de possibilidades da escolha de caminhos possíveis.