... que se pode cometer ao se relacionar:

  1. Se casar ou morar junto no auge da paixão. A paixão é uma fórmula bioquímica no sangue e tem a duração de aproximadamente 2 anos. Nessa época tudo é maravilhoso, há disponibilidade, se mostra o que tem de melhor, mas ela nem sempre ela se transforma em amor. No início o ronco dele é interpretado como “ronronado”, mas depois que a paixão passa ele se transforma em um “javali”. Tudo que nos primeiros meses é lindo começa a irritar. Melhor namorar bastante até ter certeza dos sentimentos verdadeiros e ver a evolução desse relacionamento.
  2. Achar que tudo que percebemos de errado, coisas que desagradam, comportamentos no parceiro ou parceira vai melhorar pela simples força do nosso amor.  É uma ilusão. Tudo que se percebe de ruim na época do namoro, que não se gosta, que desagrada, tende a ficar pior. Com a intimidade a outra pessoa não vai conseguir esconder tudo. Nem a paciência e dedicação mudam ou melhoram a outra pessoa.
  3. Se contentar com pouco. Querer se convencer de que aquilo é suficiente. Todos têm virtudes, mas as falhas ou omissões podem pesar mais no final. Não se pode baixar o padrão de qualidade ou se diminuir para caber em um relacionamento. Tem situações que não são perdas, mas livramentos.
  4. Buscar a felicidade em outra pessoa. Cada pessoa tem a responsabilidade de se fazer feliz e manejar as rédeas de sua própria vida. Ninguém tem essa fórmula ou esse poder. Fica muito ruim quando você coloca essa responsabilidade na mão de outra pessoa, se tornando dependende e incompleta. Isso vale em todas as áreas: profissional, familiar, espiritual, amizades, etc. Por isso é necessário invetir no autoconhecimento e autoestima. A felicidade pessoal se compartilha com a outra pessoa.

Ficar com pessoa já comprometida. É uma relação fadada ao fracasso.  Essa pessoa tem um compromisso emocional, moral e legal com outra pessoa. Se não consegue honrar esse compromisso com aquela pessoa,  por que iria honrar com você? Dentre todos esses compromissos que ele tem, teria que ter a ética da lealdade e fidelidade. Se ele (ou ela) não é fiel ao cônjuge o que garante que será fiel a vc? O amor é uma escolha, além do sentimento, existe opção a não viver aquilo, que certamente vai acarretar sofrimento